Funcionário fodendo com o chefe hétero e casado – Parte 2

Funcionário fodendo com o chefe hétero e casado - Parte 2

Gente, talvez eu não seja muito bom escrever contos, então considerado mais um relato de uma putaria do que um conto. Pois só sei escrever na primeira pessoa.

Chegamos no escritório e parecia que nada tinha acontecido, mas o que acontece no carro ficou martelando na minha cabeça o resto do dia inteiro. Sentando na minha mesa eu imaginava o pau dele na minha mão e não conseguia controlar o meu tesão. Minha rola ficava dura só de imaginar tudo que aconteceu. É too much kkk.

Fui no banheiro em momento mijar e minha cueca estava toda molhada. Meu cacete já é babão por natural, mas naquele dia estava incontrolável. Eu cheguei a cogitar em bater uma punheta para aliviar o tesão, mas sou muito medroso. Tenho medo de acontecer assim como nos vídeos que vejo na internet, alguém filmar por cima e depois vazar na empresa. Já pensou se acontece uma coisa dessa?

A única solução era esperar chegar em casa..

Saí no as 18h00 em ponto nesse dia, olha que geralmente fico a mais para tentar adiantar o trabalho. Mas nesse dia meu tesão falava mais alto. Moro na cidade grande, então metrô e ônibus para ir para casa. É uma viagem até chegar em casa, então foi uma tarefa difícil não lembrar o ocorrido e não ficar excitado. Mas em dois momentos minha pica ficou dura no metrô e tive que disfarçar colocando a mochila na frente para ninguém ver.

Eu nunca senti tanta vontade de bater uma bronha como naquele dia. Sabe quando você tá com tesão e não consegue bater punheta por causa que tem gente em casa, era essa sensação só que mil vezes mais forte.

Gente, cheguei em casa sem falar com ninguém e fui direto para o meu quarto. Sabe quando você coloca o pé na porta e a vontade de mijar aperta? Aconteceu comigo só que ao contrário, meu pau já ficou duro e eu entrei no quarto excitado.

Arranquei toda minha roupa e fiquei pelado. Geralmente eu gostoso de ver vídeo no Xvideos para me masturbar, mas eu não precisava de pornô para me masturbar. Bastava eu lembrar o que acontece no carro com meu chefe para eu bater uma. Não deu para saber se a pica do meu chefe é grande, mas seu para sentir que era grossa. Talvez o cacete dele seja mediano entre uns 15 a 16 cm, mas bem grosso.

Cuspi na minha mão e enfiei um dedo dentro do meu cuzinho enquanto minha cabeça imaginava a rola do meu supervisor dentro dele. Meu dedo entrou com facilidade e minha pica dura estava dura igual pedra. Era uma mão para massagear minha próstata e a outra para tocar uma enquanto eu desejava o cacete dele em mim. Minha punheta durou mais ou menos uns 5 minutos, juro, foi uma bronha muito rápida. Eu não tenho ejaculação precoce e geralmente demoro muito para gozar, mas como eu segurei a tarde inteira o tesão tudo que o minha piroca queria era ejacular. E foi uma gozada bem forte. Senti a porra voando na minha cara e sujando todo o lençol da cama kkkkkk.

Gozei muito, mas muito mesmo. Sabe quando você fica dias se masturbar e sem sexo e parece que é a primeira punheta da vida? Foi a mesma sensação que tive. Que puta alívio.

Mesmo depois de ter gozado a minha pica ainda continuava dura. Gente, meus hormônios estava a flor da pele com a putaria que rolou. Parecia que tinha tomado estimulante sexual. Mas meu corpo e minha mente já não tinha mais condições físicas de bater mais uma.

Fui para o banheiro para tirar aquela toda porra do meu corpo e do meu rosto. Tive que trocar também o lençol da campa por que estava sujo de porra e molhado de suo. Nesse dia eu dormi como um bebê, parecia que eu estava realizado sexualmente. Será que eu tinha algum fetiche reprimido por homem casado? Não sei dizer, mas posso garantir que as minhas punhetas diárias foram lembrando do pau do meu supervisor.

Depois da putaria que acontece no carro e eu senti o dote do meu chefe, o clima ficou um pouco diferente entre nós, mas acredito que seja pelo simples fato deu conhecer a esposa dele. Acho que a minha consciência cobrou um pouco. Mas para ele tudo continuava normal. As brincadeirinhas, as pegadas na minha bunda de vez em quando e as putarias que ele falava que ainda ia me comer.

Continua…